Anti-histamínicos

Viternum

Indicação

Viternum comprimidos é um estimulante do apetite, indicado para anorexias de todo o tipo, estados de magreza e desnutrição, transtornos de crescimento e convalescenças.

Uso adulto e pediátrico acima de 2 anos – Uso oral

Posologia

Adultos: 3 comprimidos por dia.

Os comprimidos devem ser tomados antes das refeições e devem ser deglutidos inteiros.

Efeitos Colaterais

Nos 2 ou 3 primeiros dias do tratamento, pode manifestar-se predisposição para a sonolência, que desaparece espontaneamente.

Nas crianças esta tendência manifesta-se simplesmente por um estado de maior tranquilidade e sossego.

Os outros efeitos colaterais são os que se verificam com os anti-histamínicos em geral.

Contraindicações

Não tome Viternum

  • Se tem alergia (hipersensibilidade) à substância activa ou a qualquer outro componente de Viternum.
  • Se sofre de glaucoma ou se sofre de retenção urinária. Contra-indicado também em doentes com crise aguda de asma.
  • Não utilize Viternum em crianças com menos de 2 anos.

Advertências e Precauções

Viternum na gravidez e aleitamento: como precaução não tome o medicamento durante a gravidez e a lactação.

Durante o tratamento, os doentes devem abster-se de conduzir máquinas ou qualquer veículo automóvel.

Este medicamento contém lactose.

Se tem intolerância a alguns açúcares, contacte o seu médico antes de tomar este medicamento.

Interações Medicamentosas

Existem interacções com os inibidores da MAO.

Viternum não deve ser tomado em associação com medicamentos com acção sedativa.

Exitem efeitos aditivos com o álcool.

Superdosagem

A sobredosagem, pode determinar depressão ou estimulação do SNC e sintomas atropínicos que devem ser objecto de tratamento sintomático.

Composição

Um comprimido contém 6 mg de Di-hexazina.

Outros componentes: lactose, celulose microcristalina 101, carboximetilamido sódico Tipo A, povidona K 30, sílica coloidal anidra, talco, e estearato de magnésio.

Apresentação: embalagens com 20 ou 60 comprimidos.

Armazenamento

Conservar a temperatura inferior a 25°C.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?

Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.

Continue com a posologia indicada pelo médico.

Fexofenadina

Indicação

Cloridrato de fexofenadina está indicado como anti-histamínico no tratamento das manifestações alérgicas, tais como rinite alérgica e urticária.

Via oral – Uso adulto e pediátrico acima de 12 anos de idade

Farmacocinética

Cloridrato de fexofenadina é um produto com ação anti-histamínica utilizado no tratamento sintomático de manifestações alérgicas.

Após dose única e doses de duas vezes ao dia, via oral, de cloridrato de fexofenadina, demonstrou-se que o fármaco apresenta efeito anti-histamínico, iniciando-se dentro de 1 hora e alcançando seu efeito máximo dentro de 2 a 3 horas, prolongando-se por 12 horas no mínimo.

Foi alcançada mais de 80% de inibição máxima nas áreas de formação de pápula e eritema.

Não foi observada tolerância desses efeitos após 28 dias.

Posologia

Recomenda-se que o comprimido seja ingerido com quantidade suficiente de líquido.

Este medicamento não pode ser partido ou mastigado.

Rinite alérgica (adultos e crianças maiores de 12 anos de idade): a dose recomendada de cloridrato de fexofenadina é de 60 mg duas vezes ao dia, 120 mg uma vez ao dia ou 180 mg uma vez ao dia por via oral.

Urticária (adultos e crianças maiores de 12 anos deidade): a dose recomendada de cloridrato de fexofenadina é de 180 mg, uma vez ao dia, por via oral.

Dosagem para casos especiais: não é necessário ajuste de dose de cloridrato de fexofenadina em pacientes com insuficiência do fígado, dos rins ou em idosos.

Efeitos Colaterais

Nos estudos placebos-controlados envolvendo pacientes com rinite alérgica sazonal e urticária idiopática crônica, os eventos adversos foram comparáveis nos pacientes tratados com placebo ou fexofenadina.

Os eventos adversos mais frequentes relatados em adultos incluem: dor de cabeça (>3%), sonolência, tontura e enjoo (1-3%).

Os eventos adversos que foram relatados durante os estudos controlados envolvendo pacientes com rinite alérgica sazonal e urticária idiopática crônica, com incidência menor do que 1% e similares ao placebo e que foram raramente relatados após a comercialização incluem: fadiga, insônia, nervosismo, alterações do sono ou pesadelos.

Foram relatados raros casos de xantema, urticária, prurido e reações de hipersensibilidade, tais como: angioedema, rigidez torácica, dificuldade na respiração (dispneia),rubor e anafilaxia sistêmica.

Os eventos adversos relatados em estudos placebos controlados de urticária idiopática crônica foram similares àqueles relatados em estudos placebos-controlados de rinite alérgica.

Nos estudos placebos-controlados em crianças com 6 a 11 anos de idade com rinite alérgica sazonal, os eventos adversos foram similares àqueles observados nos estudos clínicos envolvendo adultos e crianças de 12 anos ou mais com rinite alérgica sazonal.

Contraindicações

Este medicamento está contraindicado para uso em pacientes com hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula.

Este medicamento é contraindicado na faixa etária abaixo de 12 anos.

Advertências e Precauções

Estudos realizados com cloridrato de fexofenadina não demonstraram associação do uso do produto com a atenção no dirigir veículos motorizados ou operar máquinas, alteração no padrão do sono ou outros efeitos no sistema nervoso central.

Fexofenadina na gravidez e amamentação: não existe nenhuma experiência com cloridrato de fexofenadina em mulheres grávidas e que estejam amamentando.

Assim como com outros medicamentos, cloridrato de fexofenadina não deve ser utilizado durante a gravidez e amamentação a menos que a relação risco/benefício seja avaliada pelo médico e supere os possíveis riscos para o feto e crianças que ainda recebem amamentação, respectivamente.

Em estudos que abrangeram toxicidade reprodutiva realizados em camundongos, a fexofenadina não prejudicou a fertilidade, não foi teratogênica e não prejudicou o desenvolvimento pré ou pós-natal.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

Evitar a administração de cloridrato de fexofenadina junto com alimentos ricos em gordura.

Recomenda-se que o medicamento seja ingerido com água, evitando a ingestão do medicamento junto com sucos de fruta.

Interações Medicamentosas

A administração concomitante do cloridrato de fexofenadina com eritromicina ou cetoconazol não demonstrou nenhum aumento significativo no intervalo QTc.

Não foi relatada nenhuma diferença nos efeitos adversos no caso destes agentes terem sido administrados isoladamente ou em combinação.

Não foi observada nenhuma interação entre a fexofenadina e o omeprazol.

No entanto, a administração de um antiácido contendo hidróxido de alumínio e magnésio, aproximadamente 15 minutos antes do cloridrato de fexofenadina, causou uma redução na biodisponibilidade.

Recomenda-se aguardar um período aproximado de 2 horas entre as administrações de cloridrato de fexofenadina e antiácidos que contenham hidróxido de alumínio e magnésio.

Superdosagem

Sintomas: a maioria dos relatos de superdose do cloridrato de fexofenadina apresenta informações limitadas.

Entretanto, tontura, sonolência e boca seca foram relatados.

Em adultos, dose única de até 800 mg e doses de até 690 mg, duas vezes ao dia, durante 1 mês ou 240 mg diários, durante 1 ano, foram estudadas em voluntários sadios sem o aparecimento de eventos adversos clinicamente significativos quando comparados ao placebo.

A dose máxima tolerada de cloridrato de fexofenadina ainda não foi estabelecida.

Em caso de superdose acidental, procure imediatamente atendimento médico de emergência.

Tratamento: em caso de superdose são recomendadas as medidas usuais sintomáticas e de suporte para remover do organismo o fármaco não absorvido.

A hemodiálise não remove efetivamente o cloridrato de fexofenadina do sangue.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?

Caso esqueça de administrar uma dose, administre-a assim que possível, no entanto, se estiver próximo do horário da dose seguinte, espere por este horário, respeitando sempre o intervalo determinado pela posologia.

Nunca devem ser administradas duas doses ao mesmo tempo.

Composição

Comprimidos de 120 mg:

Cada comprimido revestido contém:

cloridrato de fexofenadina ……………………………120mg
excipiente* q.s.p………………………………..1 comprimido

Comprimidos de 180 mg:

Cada comprimido revestido contém:

cloridrato de fexofenadina…………………………….180mg
excipiente* q.s.p………………………………..1 comprimido

*celulosemicrocristalina, croscarmelose sódica, povidona, estearato de magnésio, opadry rosa, óxido de ferro vermelho, óxido de ferro amarelo e macrogol 400.

Apresentação:

  • Comprimidos revestidos de 120 mg ou de 180 mg
  • Embalagens com 10 comprimidos

Armazenamento

Cloridrato de fexofenadina deve ser mantido dentro da embalagem original em temperatura abaixo de 25ºC, ao abrigo da umidade.

Aspecto físico:

  • Comprimidos de 120 mg: comprimidos revestidos, em formato de cápsula, de cor rosa.
  • Comprimidos de 180 mg: comprimidos revestidos, em formato de cápsula, de cor rosa.

Número do lote – Data de fabricação – Vencimento: vide cartucho.

Laboratório

Nova Química farmaceutica LTDA

Dizeres Legais

MS N° 1.2675.0052
Farm. Resp.: Dra. Ana Paula C. Neumann – CRF-SP nº 33512

Polaryn

Indicação

Polaryn é indicado para alergia, coceira, prurido, rinite alérgica, urticária, picada de inseto, conjuntivite alérgica, dermatite atópica e eczemas alérgicos.

Contraindicações

Não utilize polaryn se você já teve algum tipo de reação alérgica ou reação incomum a qualquer um dos componentes da fórmula do produto. Não utilize este medicamento se você está tomando algum inibidor da monoaminoxidase (IMAO).

Este medicamento é contra-indicado na faixa etária de 0 a 2 anos.

Não deve ser utilizado durante a gravidez e a amamentação, exceto sob orientação médica.

Posologia

Adultos e crianças maiores de 12 anos: 1 comprimido ou 5mL 3 a 4 vezes por dia. Não ultrapassar a dose máxima de 12mg/dia (ou seja, 6 comprimidos/dia ou 30mL/dia). Para alguns pacientes, a dose diária máxima de 6mg, (ou seja, 3 comprimidos/dia ou 15mL/dia), é suficiente.

Crianças de 6 a 12 anos: ½ comprimido ou 2,5mL três vezes por dia.

Um máximo de 6mg diários (ou seja, 3 comprimidos/dia ou 15mL/dia).

Crianças de 2 a 6 anos: ¼ comprimido ou 1,25mL três vezes por dia.

Um máximo de 3mg diários (ou seja, 1,5 comprimidos/dia ou 7,5mL/dia).

Conduta necessária caso haja esquecimento de administração:
Se você esquecer de tomar uma dose na hora certa, tome-a assim que possível e depois reajuste os horários de acordo com essa última tomada, continuando o tratamento de acordo com os novos horários programados. Não tome duas doses de uma só vez. Seu médico ou farmacêutico irá informar quando você deve parar de tomar este medicamento.

SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR. NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS, PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA OU DE SEU CIRURGIÃO-DENTISTA.

Antes deusar observe o aspecto do medicamento.

Efeitos Colaterais

Junto com os efeitos necessários para seu tratamento, os medicamentos podem causar efeitos não desejados. Apesar de nem todos estes efeitos colaterais ocorrerem, você deve procurar atendimento médico caso algum deles ocorra.

Poderá ocorrer sonolência leve ou moderada durante o uso deste medicamento.
Outros efeitos que poderão ocorrer com o uso de anti-histamínicos, incluindo polaryn, são: urticária, coceira, prurido, erupções na pele, sensibilidade na pele quando exposta ao sol, aumento do suor, calafrios, pressão baixa, dor de cabeça, palpitação, choque anafilático, boca, nariz e garganta seca, sedação, agitação, perda de apetite, fraqueza, nervosismo, aumento da quantidade de micções, dor ao urinar, azia, visão borrada. Poderão ocorrer alterações no coração, no sangue, neurológicas, no estômago e intestino, nas vias urinárias, genitais e respiratórias.

Informe ao médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis.

Advertências e Precauções

Não permita que outra pessoa utilize este medicamento e não o utilize para tratar outras doenças. Não utilize este produto com maior freqüência ou em doses maiores do que o recomendado na bula. se você teve qualquer alergia séria ou qualquer reação incomum a outro produto para alergia, tosse ou resfriado, ou se você desenvolveu algum tipo de reação enquanto estava tomando polaryn, entre em contato com seu médico ou farmacêutico antes de continuar o tratamento com este produto.

Este medicamento pode afetar o comportamento de algumas pessoas, tornando-as sonolentas, com tontura e estado de alerta diminuído. Tenha certeza de como você reage a este medicamento antes de realizar atividades que possam ser perigosas se você não estiver alerta, tais como dirigir veículos ou operar máquinas.

Não se esqueça de dizer ao seu médico ou farmacêutico, antes de iniciar o tratamento com este produto, se você tem glaucoma ou algum outro problema no olho, problemas no intestino ou estômago, úlcera, próstata aumentada, entupimento das vias urinárias ou dificuldade em urinar, doença no coração, pressão alta, problemas na tireóide ou problemas respiratórios, pois este medicamento deve ser usado com cautela nestas situações.

Os antialérgicos podem causar excitação em crianças.

Em pacientes com mais de 60 anos poderá causar maior sonolência, vertigem e pressão baixa. Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas.

Os antialérgicos têm efeito aditivo com o álcool e outros depressores do sistema nervoso central, como sedativos, hipnóticos e tranqüilizantes.

Comunique seu médico ou farmacêutico se você for fazer algum teste de pele para detectar alergia. O tratamento com polaryn deverá ser suspenso dois dias antes da execução do teste, pois este medicamento poderá afetar os resultados.

Uso durante a Gravidez e Amamentação: A segurança durante a gravidez ainda não foi comprovada. Polaryn poderá ser utilizado durante os primeiros dois trimestres de gestação somente se claramente necessário e sob estrito acompanhamento médico. Este produto não deverá ser utilizado durante o terceiro trimestre de gestação porque recém-nascidos e prematuros poderão apresentar reações severas aos anti-histamínicos. Não foi comprovado se o Polaryn é excretado no leite materno e, portanto, deve haver precaução na administração a mulheres que estão amamentando.

Informe a seu médico ou cirurgião-dentista se ocorrer gravidez ou iniciar amamentação durante o uso deste medicamento.

Superdosagem

Este medicamento deve ser utilizado somente na dose recomendada. Se você utilizar grande quantidade deste medicamento, procure imediatamente socorro médico levando também a bula do produto.

As manifestações podem variar desde depressão do sistema nervoso central como: sedação, apnéia (suspensão da respiração), redução do estado de alerta mental, colapso no coração, excitação (insônia, alucinações, tremores ou convulsões) até morte.

Outros sinais e sintomas podem incluir tontura, zumbidos, ataxia (incapacidade de coordenar os movimentos musculares), visão opaca e pressão baixa. Excitação, assim como os sinais e sintomas semelhantes à ação da atropina (manifestações no estômago e intestino, boca seca, pupilas fixas e dilatadas, rubor e aumento da temperatura do corpo), são mais observadas em crianças.

Composição

Cada comprimido contém: maleato de dexclorfeniramina 2mg
Excipiente q.s.p. 1 comprimido : álcool etílico, amido, corante vermelho ponceaux, estearato de magnésio, povidona, lactose, celulose microcristalina, dióxido de silício e água de osmose reversa.

Cada 5mL do xarope contém: maleato de dexclorfeniramina 2mg
Veículo q.s.p. 5mL
Excipientes: álcool etílico, sorbitol, sacarose, metilparabeno, propilparabeno, sacarina sódica, aroma de framboesa, corante vermelho ponceaux e água de osmose reversa.

Atenção diabéticos: contém açúcar. (xarope)

Armazenamento

O produto deve ser mantido em sua embalagem original, conservado em temperatura ambiente (15 a 30°C). Proteger da luz e umidade.

Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação (VIDE CARTUCHO).

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Apresentação

Comprimido 2mg – Embalagens contendo 20 e 500 comprimidos.

Xarope 2mg/5mL – Embalagens contendo 1 e 50 frascos com 100mL+ 1 e 50 coposmedida.

Comprimido: Circular de cor rosa.

Xarope: Solução de cor vermelha.

Comprimido: Os comprimidos de Polaryn não apresentam características organolépticas marcantes que permitam sua diferenciação em relação a outros comprimidos.

Xarope: Solução de cor vermelha com aroma de framboesa.

USO ADULTO E PEDIÁTRICO (crianças acima de 2 anos) – USO ORAL

Interações Medicamentosas

Os IMAOs prolongam e intensificam os efeitos dos anti-histamínicos, podendo ocorrer pressão baixa grave. O uso de anti-histamínicos com álcool, medicamentos para depressão, epilepsia e outros depressores do sistema nervoso central como sedativos, hipnóticos e tranqüilizantes, pode potencializar os efeitos sedativos.

A ação dos anticoagulantes orais pode ser diminuída por antihistamínicos.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Informações Legais

Farm. Resp.: Andreia Cavalcante Silva CRF-GO nº 2.659
M.S. no 1.0370.0200
Nº do lote e data de fabricação: VIDE CARTUCHO
Sac: 0800621800

Teuto Brasileiro S/A
CNPJ – 17.159.229/0001-76
VP 7-D Módulo 11 Qd. 13 – DAIA
CEP 75132-140 – Anápolis – GO
Indústria Brasileira

Desloratadina

Indicação

Desloratadina é indicada para o alívio dos sintomas associados à rinite alérgica, como: coriza (corrimento nasal), espirros e prurido nasal (coceira no nariz), ardor e prurido ocular (coceira nos olhos), prurido do palato (coceira no céu da boca) e tosse.

Os sinais e sintomas oculares e nasais são rapidamente aliviados após a administração oral do produto.

Desloratadina é também indicada para o alívio dos sinais e sintomas de urticária (alergia de pele) e outras alergias da pele.

Uso adulto e pediátrico acima de 6 meses – Uso oral

Farmacocinética

Concentrações plasmáticas de desloratadina podem ser detectadas dentro de 30 minutos após sua administração.

A desloratadina é bem absorvida com pico de concentração plasmática obtida aproximadamente após 3 horas.

Posologia

Desloratadina Xarope:

  • Em crianças de 6 a 11 meses de idade: 2 mL (1 mg) de desloratadina xarope uma vez por dia, independentemente da alimentação.
  • Em crianças de 1 a 5 anos de idade: 2,5 mL (1,25 mg) de desloratadina xarope uma vez por dia, independentemente da alimentação.
  • Em crianças de 6 a 11 anos de idade: 5 mL (2,5 mg) de desloratadina xarope uma vez por dia, independentemente da alimentação.
  • Em adultos e adolescentes (maior ou igual a 12 anos de idade): 10 mL (5 mg) de desloratadina xarope uma vez por dia, independentemente da alimentação.

Desloratadina Comprimido:

  • Adultos e adolescentes (maior ou igual a 12 anos de idade): um comprimido revestido de 5 mg de desloratadina uma vez por dia, independente da alimentação, para alívio dos sintomas associados com a rinite alérgica (incluindo rinite alérgica intermitente e persistente) e urticária.

A desloratadina comprimidos não pode ser partida ou mastigada.

Efeitos Colaterais

Os efeitos colaterais mais frequentes são: fadiga, boca seca e cefaleia (dor de cabeça).

Casos raros de reações de alergia (incluindo anafilaxia e erupções cutâneas), taquicardia, palpitações, hiperatividade psicomotora, convulsões, elevações das enzimas hepáticas, hepatite e aumento da bilirrubina também podem ocorrer.

Contraindicações

Não utilize este medicamento se você já teve algum tipo de alergia ou alguma reação incomum a um dos componentes da fórmula do produto.

A desloratadina xarope é contraindicado em crianças menores de 6 meses de idade.

A desloratadina comprimidos não deve ser utilizada em pacientes menores de 12 anos de idade.

Advertências e Precauções

Desloratadina na gravidez e amamentação: como a segurança do uso deste medicamento durante a gravidez ainda não foi comprovada, não deve ser utilizado durante esse período, a não ser que os benefícios potenciais sejam maiores que os riscos potenciais para o feto.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

A desloratadina pode passar para o leite materno. Desse modo, seu uso não é recomendado para mulheres que estejam amamentando.

Este medicamento não contém açúcar e nem corantes.

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas.

Interações medicamentosas

Não foram observadas interações relevantes com medicamentos.

Não houve alteração na distribuição de desloratadina na presença de alimentos ou suco de grapefruit (tipo de fruta cítrica).

Este medicamento administrado juntamente com álcool não aumenta os efeitos prejudiciais sobre o desempenho causados pelo álcool.

Superdosagem

Se você utilizar grande quantidade deste medicamento, evite a provocação de vômitos e a ingestão de alimentos ou bebidas.

O mais indicado é procurar um serviço médico, sabendo a quantidade de medicamento tomada e levando a bula do produto.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?

No caso de esquecimento de alguma dose, consulte seu médico.

Composição

Desloratadina Xarope

Cada 1 mL contém:

desloratadina ……………………………………… 0,5 mg

Veículo q.s.p. ………………………………………… 1 mL

(acido cítrico; aroma de morango; benzoato de sódio; citrato de sódio di-hidratado; edetato dissódico; glicerol; hietelose; sorbitol; sucralose; água deionizada).

Desloratadina Comprimido

Cada comprimido revestido contém:
desloratadina……………………………………….5 mg

excipiente * q.s.p. …………………………………..1 comprimido

* amido pré-gelatinizado, celulose microcristalina, lactose monoidratada, dióxido de silício talco, estearilfumarato de sódio, óxido de ferro amarelo, álcool polivinílico + dióxido de titânio + macrogol + talco, água purificada.

Apresentação:

  • Xarope – embalagens contendo frascos com 60 mL ou 100 mL acompanhado de seringa dosadora.
  • Comprimidos revestidos de 5 mg – embalagem contendo 4, 6, 10, 12, 20 e 30 comprimidos revestidos.

Armazenamento

Este medicamento deve ser guardado em temperatura ambiente (entre 15 e 30 °C).

Proteger da luz e manter em lugar seco.

O prazo de validade é de 24 meses a partir da data de fabricação impressa na embalagem externa do produto.

Aspecto físico:

  • Desloratadina xarope é um líquido levemente viscoso, incolor e com odor de morango.
  • Desloratadina comprimido revestido é levemente amarelada, circular, biconvexa e monossectada.

Laboratório

EMS, genéricos, Ltda.

Telefone: (19) 3887.9800

Dizeres Legais

Reg. MS: nº 1.0235.0936
Farm.Resp.: Dr. Ronoel Caza de Dio CRF-SP nº 19.710

Hixizine

Indicação

Hixizine é o anti-histamínico de eleição no tratamento de dermatite atópica e urticária.

É indicado no tratamento sintomático de condições alérgicas pruriginosas da pele diversas, tais como: urticária, dermografismo, dermatite atópica e de contato e prurido decorrente de outras doenças sistêmicas.

Via oral – Uso adulto e pediátrico

Contraindicações

Hipersensibilidade à hidroxizina e início da gestação.

Posologia

Hixizine Xarope é apresentado com seringa-dosadora e bico adaptador.

  • 6 a 8 Kg – dose antihistamínica: 2,0 a 3,0 mL de Hixizine xarope / tomada;
  • de 8 a 10 Kg – dose antihistamínica: 3,0 a 3,5 mL de Hixizine xarope / tomada;
  • de 10 a 12 Kg – dose antihistamínica: 3,5 a 4,0 mL de Hixizine xarope / tomada;
  • de 12 a 24 Kg – dose antihistamínica: 4,0 a 8,5mLde Hixizine xarope / tomada;
  • de 24 a 40 Kg – dose antihistamínica: 8,5 a 14,0 mL de Hixizine xarope / tomada .
  • Crianças: 0,7 mg/kg de peso, 3 vezes ao dia.

Hixizine Comprimidos:

  • Adultos: 1 comprimido (25 mg), 3 a 4 vezes ao dia.
  • Crianças: 0,7 mg/kg de peso, 3 vezes ao dia.

Quando desejar efeito sedativo como pré-medicação anestésica ou após anestesia geral: 50-100mg para adultos; 0,6mg/kg para crianças.

É aconselhável que pacientes com problemas gástricos tomem os comprimidos junto coma alimentação.

Efeitos Colaterais

Sedação, sonolência (geralmente transitórias) e secura na boca.

Raramente podem aparecer crises convulsivas, tremor ou agitação.

Advertências e Precauções

Hixizine na gravidez e lactação: Categoria C pelo FDA.

Não foram realizados estudos controlados em humanos.

Entretanto, o uso da hidroxizina não é recomendado nos primeiros meses da gestação, já que estudos realizados em ratos demonstraram que doses acima das terapêuticas, podem estar relacionadas com anormalidades fetais.

Não é conhecido se a hidroxizina é excretada no leite materno, nem o potencial de efeitos adversos sobre o lactante.

Sua administração na gravidez e lactação deve ser realizada caso os benefícios justifiquem os riscos.

Interações Medicamentosas

Potencialização dos depressores do sistema nervoso central: hipnóticos, anestésicos, álcool.

Potencialização dos efeitos atropínicos quando associada a: anticolinérgicos, anti-histamínicos, neurolépticos e antidepressivos imipramínicos.

Apomorfina: Pode ocorrer diminuição do efeito emético da apomorfina em tratamentos de intoxicações.

Superdosagem

Não consta.

Composição

Hixizine Comprimidos

Cada comprimido sulcado de Hixizine contém: 25 mg de cloridrato de hidroxizina

Hixizine Xarope

Cada ml da solução oral contém: 2 mg de cloridrato de hidroxizina

Apresentação:

  • comprimidos: embalagem c/ 3 bl. de 10 comprimidos
  • solução oral: frasco de 120 ml.

Laboratório

Theraskin

Dizeres Legais

MS 1.0191.0256

Claritin D comprimido

Indicação

CLARITIN-D 24 Horas é indicado para o alívio dos sintomas associados à rinite alérgica e ao resfriado comum, incluindo congestão nasal, espirros, rinorréia (corrimento nasal), prurido (coceira) e lacrimejamento.

Contraindicações

Não utilize CLARITIN-D 24 Horas:
• se você já teve qualquer tipo de alergia ou reação inesperada a qualquer um dos componentes da fórmula ou a agentes adrenérgicos;
• se utiliza medicamentos inibidores da enzima monoaminoxidase ou nos 14 dias após ter parado de utilizar esses medicamentos;
• se possui glaucoma de ângulo estreito (doença ocular), retenção urinária (incapacidade de eliminar toda a urina), hipertensão grave (pressão alta), doença coronariana grave (doença dos vasos sanguíneos que irrigam o coração) e hipertireoidismo (função aumentada da glândula tireóide).

Posologia

Aspecto físico
Verifique se o medicamento que você adquiriu possui as seguintes características:
CLARITIN-D 24 Horas é um comprimido revestido, branco, oval biconvexo, liso em ambas as faces.
Características organolépticas
CLARITIN-D 24 Horas não apresenta características organolépticas específicas
Dosagem
Para adultos e crianças acima de 12 anos: 1 comprimido uma vez por dia. No caso de esquecimento de alguma dose, consulte seu médico.
Como usar
CLARITIN-D 24 Horas é indicado para uso oral e deve ser utilizado de acordo com as instruções do item Dosagem.
Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento. Este medicamento não pode ser partido ou mastigado.

Efeitos Colaterais

As reações adversas mais freqüentes que podem ocorrer devido ao uso de CLARITIN-D 24 Horas são: dor de cabeça e boca seca. As reações menos
freqüentes são: sonolência e insônia. As reações adversas raramente relatadas são: tontura, fadiga, anorexia (falta de apetite), nervosismo, náuseas (enjôos),
epistaxe (sangramento no nariz), rinite, disfunção na glândula lacrimal, astenia (desânimo), hipercinesia (inquietação), constipação (dificuldade de evacuar),
dispepsia (dificuldade para fazer digestão), palpitação, taquicardia (aumento do número de batimentos cardíacos), sede, agitação, irritabilidade, tosse, dispnéia
(falta de ar), irritação nasal, faringite (inflamação na faringe), alopecia (perda de cabelo), anafilaxia (reação alérgica grave) e função anormal do fígado
(função hepática anormal). Com exceção da dor de cabeça, que ocasionalmente pode ser grave, a maioria das reações adversas associadas ao CLARITIN-D 24 Horas foi de leve a moderada. Houve raros relatos pós-comercialização de obstrução mecânica do trato gastrintestinal superior (obstrução mecânica do sistema estômago a intestino superior) ou peristaltismo esofágico anormal (movimentação anormal do esôfago) em pacientes utilizando CLARITIN-D 24 Horas, apresentando histórico de dificuldade para engolir comprimidos.

Advertências e Precauções

CLARITIN-D 24 Horas pode causar agitação, excitabilidade, convulsões e/ou colapso cardiovascular (falência do coração) associada a hipotensão (pressão baixa). Se você tiver disfunção hepática grave (doença grave no fígado), procure o seu médico para que ele possa orientá-lo em relação à dose inicial que deve tomar, pois, provavelmente, será uma dose menor; é recomendada uma dose inicial de um comprimido em dias alternados. Se você tem dificuldade para engolir comprimidos ou apresenta obstrução mecânica do trato gastrintentinal superior ou peristaltismo esofágico (movimentação do esôfago) anormal, não deve usar esse medicamento.
Abuso e dependência
Devido à presença de sulfato de pseudoefedrina na formulação de CLARITIN-D 24 Horas, este apresenta potencial de uso abusivo e doses crescentes causam toxicidade. Nesses casos, a suspensão súbita do medicamento pode causar depressão.
Uso durante a gravidez e amamentação
Não está comprovado se o uso de CLARITIN-D 24 Horas pode acarretar riscos durante a gravidez. Portanto o medicamento só deverá ser utilizado se os benefícios potenciais para a mãe justificarem o risco potencial para o feto. Considerando que CLARITIN-D 24 Horas passa para o leite materno, deve-se escolher entre parar com a amamentação ou com o uso deste medicamento.
Uso em crianças
A segurança e eficácia de CLARITIN-D 24 Horas em crianças menores de 12 anos não foram estabelecidas. Portanto, não recomendamos o uso deste medicamento em crianças menores de 12 anos.
Uso em idosos
Em pacientes com 60 anos ou mais, CLARITIN-D 24 Horas pode causar reações adversas, como confusão, alucinações, convulsões, depressão do SNC e morte. Deve-se proceder com cautela quando se administrar uma fórmula de ação prolongada a pacientes idosos.
Atenção diabéticos: contém açúcar.

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas.
CLARITIN-D 24 Horas não contém corantes.
Precauções
Tenha cuidado ao tomar CLARITIN-D 24 Horas se tiver glaucoma (doença ocular), hipertrofia prostática (aumento do volume da próstata), obstrução do colo da bexiga, doença cardiovascular (doença do coração e dos vasos sanguíneos), aumento da pressão intra-ocular, diabetes mellitus (aumento da glicose no sangue) e se estiver usando digitálicos (medicamentos que aumentam a contração do coração).

Superdosagem

Caso você utilize uma grande quantidade desse medicamento de uma só vez, procure o seu médico para que ele inicie imediatamente um tratamento geral dos sintomas.
Sintomas: podem variar desde depressão do sistema nervoso central (sedação, apnéia, diminuição da capacidade mental, cianose, coma, colapso cardiovascular), até estímulo (insônia, alucinação, tremores e convulsão) até morte. Outros sinais e sintomas podem incluir:
euforia, excitação, taquicardia (aumento do número de batimentos do coração), palpitação, sede, sudorese (transpiração excessiva), náuseas (enjôos), vertigens, zumbido (tinnitus), incoordenação motora (ataxia), visão borrada, hipertensão (pressão alta) ou hipotensão (pressão baixa). O risco de estímulo é mais provável em crianças, como também são os sinais e sintomas similares aos produzidos pela atropina, como: boca seca, pupilas fixas e dilatadas, rubor (vermelhidão), hipertermia (aumento da temperatura corporal) e sintomas gastrintestinais (sintomas no estômago e intestino). Em doses elevadas, pode ocorrer tontura, dor de cabeça, náusea, vômitos, sudorese, sede, taquicardia, dor precordial (dor no peito), palpitações, dificuldade para urinar, fraqueza e tensão muscular, ansiedade, nervosismo e insônia. Alguns pacientes podem apresentar uma
psicose tóxica com ilusões e alucinações. Alguns podem ter arritmias cardíacas, colapso circulatório, convulsões, coma e falência respiratória.
O que fazer antes de procurar socorro médico?
Deve-se evitar a provocação de vômitos e a ingestão de alimentos ou bebidas. O mais indicado é procurar um serviço médico, portando a embalagem do produto e, de preferência, sabendose a quantidade exata de medicamento ingerida. Pode-se, alternativamente, solicitar o auxílio
ao Centro de Desintoxicações da região, o qual deve fornecer as orientações para a superdose em questão.

Composição

Cada comprimido revestido contém 10 mg de loratadina e 240 mg de sulfato de
pseudoefedrina. Componentes inativos: hidroximetilcelulose, etilcelulose, fosfato de cálcio dibásico, povidona, dióxido de silício, estearato de magnésio, hipromelose, sacarose, cera branca, cera de carnaúba, dióxido de titânio e polietilenoglicol.

Armazenamento

CLARITIN-D 24 Horas deve ser guardado em sua embalagem original em temperatura entre 2ºC e 30ºC, protegido da umidade excessiva.
O prazo de validade encontra-se gravado na embalagem externa. Em caso de vencimento inutilize o produto.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Apresentação

CLARITIN-D 24 Horas apresenta-se em embalagens com 6 comprimidos revestidos.
CLARITIN-D 24 Horas é indicado para uso oral.
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Interações Medicamentosas

A loratadina não aumenta o efeito do álcool. Se você utilizar CLARITIN-D 24 Horas juntamente com cetoconazol (medicamento usado no
tratamento de micoses), eritromicina (antibiótico) ou cimetidina (medicamento utilizado no tratamento de úlcera), poderá haver um aumento da concentração de loratadina no sangue, porém sem alterações muito importantes. Se você estiver utilizando outros medicamentos que inibem o metabolismo do fígado, CLARITIN-D 24 Horas deverá ser utilizado com cautela. Se CLARITIN-D 24 Horas for utilizado juntamente com inibidores da monoaminoxidase (IMAO), pode ocorrer aumento da pressão arterial, inclusive crises hipertensivas. Os efeitos dos antihipertensivos (medicamentos usados no tratamento da pressão arterial) como a metildopa,
mecamilamina, reserpina e alcalóides derivados do veratrum podem ser diminuídos por CLARITIN-D 24 Horas. Os medicamentos bloqueadores beta adrenérgicos, que são drogas normalmente utilizadas em quem tem pressão alta ou outros problemas do coração, também podem interagir com os descongestionantes. O uso de CLARITIN-D 24 Horas juntamente com digitálicos (medicamentos
que aumentam a contração do coração), pode modificar o batimento normal do coração, levando-o a funcionar de forma diferente do batimento normal (marca-passo ectópico). Os antiácidos aumentam a taxa de absorção da pseudoefedrina e o caolim (antidiarréico) a
diminui.
Interações em testes laboratoriais
Você deverá parar de usar CLARITIN-D 24 Horas, assim como qualquer medicamento para alergia, aproximadamente 48 horas antes de se fazer qualquer tipo de prova na pele, já que esses medicamentos poderão impedir ou diminuir as reações que seriam positivas.

Informações Legais

MS 1.0093.0236
Farm. Resp.: Lucia Lago Hammes – CRF-RJ 2.804

Importado e embalado por:
MANTECORP INDÚSTRIA QUÍMICA E FARMACÊUTICA LTDA
Estrada dos Bandeirantes, 3.091 – Rio de Janeiro – RJ
CNPJ: 33.060.740/0001-72 – Indústria Brasileira
Fabricado por:Schering-Plough S.A. de C.V., Xochimilco, México
Distribuído por: SCHERING-PLOUGH PRODUTOS FARMACÊUTICOS Ltda.

Sedalex

Indicação

Indicado no alívio da dor associada a contraturas musculares decorrentes de processos traumáticos ou inflamatórios e em dores de cabeça tensionais.

Via oral – Uso adulto

Contraindicações

Sedalex é contra-indicado nos casos de gravidez; alergia a qualquer um dos componentes da fórmula; não deve ser utilizado em pacientes com glaucoma, obstrução pilórica ou duodenal, acalasia do esôfago (megaesôfago), úlcera péptica estenosante, hipertrofia prostática, obstrução do colo da bexiga e miastenia grave.

Devido à presença de dipirona sódica, sedalex não deve ser administrado a pacientes com alergia aos derivados de pirazolonas (ex.: fenazona, propifenazona) ou a pirazolidinas (ex.: fenilbutazona, oxifembutazona) incluindo, por exemplo, caso anterior de agranulocitose em relação a um destes medicamentos; em certas doenças metabólicas tais como porfiria aguda do fígado intermitente (pelo risco de indução de crises de porfiria) e deficiência congênita da glicose-6-fosfatodesidrogenase (pelo risco de ocorrência de hemólise); função da medula óssea insuficiente (ex.: após tratamento citostático) ou doenças do sistema hematopoiético; asma analgésica ou intolerância analgésica do tipo urticária-angioedema, ou seja, em pacientes com desenvolvimento anterior de broncospasmo ou outras reações anafilactóides (ex.: urticária, rinite, angioedema) provocadas por salicilatos, paracetamol ou outros analgésicos não-narcóticos (ex.: diclofenaco, ibuprofeno, indometacina, naproxeno); durante os três primeiros e três últimos meses de gravidez.

Posologia

Adultos: 1 a 2 comprimidos, 3 a 4 vezes ao dia, por via oral. Não ultrapassar estes limites.

Conduta necessária caso haja esquecimento de administração:

Baseando-se nos sintomas, reintroduzir a medicação respeitando sempre os horários e intervalos recomendados.

Nunca devem ser administradas duas doses ao mesmo tempo.

Efeitos Colaterais

As reações adversas de orfenadrina são principalmente devido a sua leve ação anticolinérgica, e são normalmente associadas a doses altas.

Secura da boca é o primeiro efeito adverso a aparecer.

Quando a dose diária é aumentada, podem ocorrer efeitos adversos como: redução ou aumento do ritmo cardíaco, arritmias cardíacas, palpitações, sede, diminuição da sudorese, retenção ou hesitação urinária, visão borrada, dilatação da pupila, aumento da pressão intraocular, fraqueza, enjôos, vômitos, dor de cabeça, tonturas, constipação, sonolência, reações alérgicas, coceira, alucinações, agitação, tremor, irritação gástrica e raramente urticária e outras dermatoses.

Não frequentemente, pacientes idosos podem sentir um certo grau de confusão mental. Estas reações adversas podem ser normalmente eliminadas pela redução da dose.

Em doses tóxicas podem ocorrer, além dos sintomas mencionados, ataxia, distúrbio da fala, disfagia, pele seca e quente, disúria, diminuição dos movimentos peristálticos intestinais, delírio e coma.

Foram relatados casos muito raros de anemia aplástica associada ao uso de orfenadrina.

A dipirona sódica pode causar as seguintes reações adversas:

Reações anafiláticas/anafilactóides: raramente a dipirona sódica pode causar reações anafiláticas/ anafilactóides que, em casos muito raros, podem se tornar graves e com risco de vida.

Estas reações podem ocorrer mesmo após sedalex ter sido utilizado previamente em muitas ocasiões sem complicações.

Estas reações medicamentosas podem desenvolver-se imediatamente após a administração de dipirona sódica sob a forma de comprimidos ou horas mais tarde; contudo, a tendência normal é que estes eventos ocorram na primeira hora após a administração.

Tipicamente, reações anafiláticas/anafilactóides leves manifestam-se na forma de sintomas na pele ou nas mucosas (como: prurido, ardor, rubor, urticária, inchaço), dispnéia e, menos freqüentemente, sintomas gastrintestinais.

Estas reações leves podem progredir para formas graves com urticária generalizada, angioedema grave (até mesmo envolvendo a laringe), broncoespasmo grave, arritmias cardíacas, queda da pressão sangüínea (algumas vezes precedida por aumento da pressão sangüínea) e choque circulatório.

Neste caso o medicamento sedalex deve ser suspenso e instituído o tratamento médico adequado.

Em caso de reação anafilática, epinefrina aquosa é a droga de escolha.

Pode ser injetada por via endovenosa, lentamente, na dose de 1ml, em diluição de 1:10.000 (1ml de epinefrina a 1:1.000 diluído em 10ml de soro fisiológico).

A seguir, procede-se à corticoterapia, se necessário, e à reposição de volume com expansores de plasma.

Em pacientes com síndrome da asma analgésica, estas reações aparecem tipicamente na forma de ataques asmáticos.

Outras reações da pele e mucosas: além das manifestações na pele e nas mucosas de reações anafiláticas/anafilactóides mencionadas acima, podem ocorrer ocasionalmente erupções fixadas por medicamentos; raramente, exantema; e, em casos isolados, síndrome de stevens-johnson ou síndrome de lyell. reações de queda na pressão sanguínea isoladas: podem ocorrer ocasionalmente após a administração, reações de queda na pressão sanguínea transitórias isoladas; em casos raros, estas reações apresentam-se sob a forma de queda crítica da pressão sanguínea.

Reações hematológicas: podem desenvolver-se raramente leucopenia e, em casos muito raros, agranulocitose ou trombocitopenia.

Estas reações são consideradas imunológicas e podem ocorrer mesmo após sedalex ter sido utilizado previamente em muitas ocasiões, sem complicações.

Agranulocitose pode representar risco de vida.

Sinais típicos de agranulocitose incluem lesões inflamatórias na mucosa (ex.: orofaríngea, anorretal, genital), inflamação na garganta, febre (mesmo inesperadamente persistente ou recorrente). entretanto, em pacientes recebendo antibioticoterapia, os sinais típicos de agranulocitose podem ser mínimos.

A taxa de sedimentação de células vermelhas é extensivamente aumentada, enquanto que o aumento de nódulos linfáticos é tipicamente leve ou ausente.

Sinais típicos de trombopenia incluem uma maior tendência para sangramento e aparecimento de manchas vermelhas ou purpúreas na pele e membranas mucosas.

Outras reações adversas: em casos muito raros, especialmente em pacientes com história de doença dos rins, pode ocorrer piora aguda da função dos rins (insuficiência renal aguda), em alguns casos com oligúria, anúria ou proteinúria.

Em casos isolados, pode ocorrer nefrite intersticial aguda.

Advertências e Precauções

Em tratamentos prolongados, deve-se controlar o perfil das características do sangue, com hemogramas freqüentes, e também a função do fígado e dos rins do paciente.

A orfenadrina pode prejudicar a capacidade do paciente para o desempenho de atividades como operar máquinas ou conduzir veículos.

Sedalex não deve ser utilizado concomitantemente com álcool, propoxifeno ou fenotiazínicos.

Sedalex não deve ser utilizado para tratamento de rigidez muscular associada ao uso de antipsicóticos.

Não utilize sedalex caso haja sinais de violação ou danificações da embalagem.

Relacionados à dipirona sódica: em caso de ocorrência de sinais sugestivos de agranulocitose ou trombopenia, deve-se interromper o tratamento com sedalex imediatamente e realizar contagem de células sanguíneas (incluindo contagem diferencial de leucócitos).

A interrupção do tratamento com sedalex não deve ser adiada até que os resultados dos testes laboratoriais estejam disponíveis.

Risco de uso por via de administração não recomendada: não há estudos dos efeitos de sedalex administrado por vias não recomendadas. portanto, por segurança e para eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente pela via oral.

Sedalex na gravidez e lactação: não existe experiência com o uso de Sedalex em mulheres grávidas.

Portanto, assim como para outros medicamentos, Sedalex não deve ser utilizado durante a gravidez.

A segurança de Sedalex durante a amamentação não está estabelecida.

A amamentação deve ser evitada durante e até 48 horas após o uso de Sedalex, devido à excreção dos metabólitos da dipirona sódica no leite materno.

Não deve ser utilizado durante a gravidez e a amamentação, exceto sob orientação médica.

Informe a seu médico ou cirurgião-dentista se ocorrer gravidez ou iniciar amamentação durante o uso deste medicamento.

Interações Medicamentosas

Confusão, ansiedade e tremores foram relatados em alguns pacientes que receberam orfenadrina concomitantemente com propoxifeno.

Os fenotiazínicos, como a clorpromazina, podem interferir no controle de termorregulação corporal, causando tanto hipotermia como hipertermia.

A dipirona sódica pode potencializar eventual hipotermia causada por fenotiazínicos.

Agentes anticolinérgicos, como a orfenadrina, não controlam a discinesia tardia associada ao uso prolongado de antipsicóticos. S

eu uso pode mesmo exacerbar os sintomas de liberação extrapiramidal associados a estas drogas.

A dipirona sódica pode causar redução dos níveis plasmáticos de ciclosporina.

Deve-se, portanto, realizar monitorização das concentrações de ciclosporina quando da administração concomitante de dipirona sódica.

Superdosagem

Sintomas: A orfenadrina é uma droga potencialmente tóxica e há relatos de mortes associadas à superdose (ingestão de 2 a 3 g de uma só vez).

Efeitos tóxicos, tipicamente anticolinérgicos, podem ocorrer, rapidamente em 2 horas, em intoxicação aguda, com convulsões, arritmias cardíacas e morte.

Após superdose aguda com dipirona sódica, foram registradas reações como: náuseas, vômito, dor abdominal, deficiência da função dos rins/insuficiência dos rins aguda (ex.: devido à nefrite intersticial) e, mais raramente, sintomas do sistema nervoso central (vertigem, sonolência, coma, convulsões) e queda da pressão sanguínea (algumas vezes progredindo para choque) bem como arritmias cardíacas (taquicardia).

Após a administração de doses muito elevadas, a excreção de um metabólito inofensivo (ácido rubazônico) pode provocar coloração avermelhada na urina.

A cafeína tem ação estimulante central, podendo acentuar os sintomas excitatórios das duas drogas anteriores.

Em caso de superdose acidental, você deve suspender a medicação, guardar repouso, (preferencialmente deitado com as pernas elevadas) e procure imediatamente o seu médico ou atendimento médico de emergência.

Tratamento: Em caso de superdose aguda de Sedalex, a absorção do medicamento deve ser reduzida por indução de êmese, lavagem gástrica, administração de carvão ativado ou combinação das três medidas.

Deve-se manter o paciente hidratado, sob rigoroso controle do equilíbrio ácido-básico e monitoração das condições respiratórias, cardíacas e neurológicas.

Fisostigmina, na dose de 0,5 a 2 mg por via subcutânea, endovenosa ou intramuscular, repetida a cada 1 ou 2 horas, é antídoto dos efeitos anticolinérgicos da orfenadrina, quando estes forem muito intensos.

Sua utilização deve, entretanto, ser ponderada, pois ela pode produzir vários efeitos cardíacos e respiratórios.

Em caso de superdose não-complicada é mais seguro aguardar a remissão espontânea de toxicidade do anticolinérgico.

Não existe antídoto específico conhecido para dipirona sódica.

Em caso de administração recente, deve-se limitar a absorção sistêmica adicional do princípio ativo por meio de procedimentos primários de desintoxicação, como lavagem gástrica ou aqueles que reduzem a absorção (ex.: carvão vegetal ativado).

O principal metabólito da dipirona sódica (4-N-metilaminoantipirina) pode ser eliminado por hemodiálise, hemofiltração, hemoperfusão ou filtração plasmática.

Composição

Cada comprimido contém: citrato de orfenadrina 35mg; dipirona sódica monoidratada (equivalente a 300mg de dipirona sódica) 316,22mg; cafeína 50mg.

Excipiente q.s.p. 1 comprimido; álcool etílico, amido, estearato de magnésio, povidona e talco.

Apresentação:

  • Comprimido 35mg + 300mg + 50mg, embalagens contendo 144, 200 e 240 comprimidos.

Armazenamento

O produto deve ser mantido em sua embalagem original, conservado em temperatura ambiente (15 a 30°C).

Proteger da luz e umidade.

Aspecto físico:

  • Comprimido circular de cor branca a levemente amarelada.

Número do lote – Data de fabricação – Vencimento: vide cartucho

Farmacocinética

Sedalex possui ação analgésica e relaxante muscular.

Laboratório

Teuto Brasileiro S.A.

SAC: 0800 621 800

Dizeres Legais

Farm. Resp.: Andreia Cavalcante Silva – CRF-GO nº 2.659

M.S. nº 1.0370.0179
SAC: 0800621800

Polaramine Creme

Indicação

Polaramine Creme é indicado para o alívio de coceira, alergias, coceiras, urticária e picadas de insetos.

Uso adulto e pediátrico – Uso tópico

Farmacocinética

Polaramine Creme ajudam a reduzir os sintomas da alergia causados por substâncias estranhas que entram em contato com nosso corpo.

Posologia

Aplicar Polaramine Creme sobre a área da pele afetada duas vezes ao dia.

Efeitos Colaterais

Junto com os efeitos necessários para seu tratamento, os medicamentos podem causar efeitos não desejados.

Apesar de nem todos estes efeitos colaterais ocorrerem, você deve procurar atendimento médico caso algum deles ocorra.

Antialérgicos para uso na pele podem causar sensibilização e irritação local, especialmente com o uso prolongado.

Efeitos colaterais sistêmicos têm sido reportados após aplicação na pele de antialérgicos em áreas extensas.

Contraindicações

Polaramine Creme é contra-indicado a pacientes que apresentem hipersensibilidade aos componentes de sua fórmula.

Este medicamento é contra-indicado na faixa etária abaixo de 2 anos de idade, incluindo recém-nascidos e prematuros.

Advertências e Precauções

Polaramine Creme não é indicado para o uso nos olhos.

Deve-se evitar a exposição à luz do sol das áreas tratadas com Polaramine Creme, pois podem ocorrer reações indesejáveis na pele.

O tratamento deverá ser suspenso se ocorrer sensação de queimação, erupções, desenvolvimento de irritações ou se não houver melhora do quadro.

Evite o uso prolongado ou o uso em áreas extensas da pele, principalmente em crianças.

Polaramine creme na gravidez e amamentação: a segurança do uso na pele de antialérgicos durante a gravidez e a amamentação não está estabelecida.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do
cirurgião-dentista.

Em casos raros, a absorção pela pele de Polaramine Creme pode provocar excitabilidade,
principalmente em crianças.

Não se deve aplicar Polaramine Creme em áreas da pele que apresentem bolhas, em áreas da pele que não estejam íntegras ou que apresentem secreção, ao redor dos olhos, genitália ou em outras mucosas.

Deve-se evitar cobrir a área que está sendo tratada.

Interações Medicamentosas

  • Interação com exames laboratoriais: o tratamento com antialérgicos deverá ser suspenso aproximadamente 48 horas antes de se efetuar qualquer tipo de teste laboratorial na pele pois o uso do produto poderá interferir no resultado do exame.

Superdosagem

Polaramine Creme deve ser usado somente na dose recomendada.

Se você utilizar grande quantidade deste medicamento, procure imediatamente socorro médico, levando a bula do produto.

Composição

Cada grama de Polaramine Creme contém 10 mg de maleato de dexclorfeniramina.

Componentes inativos:

alantoína, metilparabeno, glicerina, solução de sorbitol, óleo mineral, monoestearato de glicerila auto-emulsionável, cetil éster, álcool cetílico, óleo de lavanda, álcool de lanolina etoxilada e água.

Apresentação:

Polaramine Creme apresenta-se em bisnagas de 30 g.

Armazenamento

Polaramine Creme deve ser guardado em sua embalagem original em local com temperatura entre 2ºC e 25ºC, protegido da luz.

Aspecto físico:

Polaramine Creme apresenta cor branca e uniforme.

Laboratório

MANTECORP INDÚSTRIA QUÍMICA E FARMACÊUTICA LTDA

SAC: 0800 011 7788

Dizeres Legais

MS 100930082022-3

Farm. Resp.: Lucia Lago Hammes – CRF-RJ 2.804

Histadin

Indicação

Histadin é indicado para o alívio dos sintomas associados com a rinite alérgica (por exemplo: febre do feno), como: coceira nasal, nariz escorrendo (coriza), espirros, ardor e coceira nos olhos. Histadin também é indicado para o alívio dos sinais e sintomas da urticária e de outras alergias da pele.

Contraindicações

Este medicamento é contraindicado em pacientes que tenham demonstrado qualquer tipo de reação alérgica ou incomum a qualquer um dos componentes da fórmula.

Posologia

Aspectos físicos:
O comprimido é branco, circular, biconvexo e vincado.

Dosagem:
Adultos e crianças acima de 12 anos ou com peso corporal acima de 30 kg: 1 comprimido de Histadin (10 mg) uma vez por dia.
Se você esquecer de tomar uma dose na hora certa, tome-a assim que possível e depois reajuste os horários de acordo com a última dose tomada, continuando o tratamento conforme os novos horários programados. Não tome duas doses de uma só vez. Seu médico ou farmacêutico irá informar quando você deve parar de tomar este medicamento.
Como usar:
Histadin é indicado para uso oral e deve ser utilizado de acordo com as instruções contidas no item “Dosagem”. Siga corretamente o modo de usar. Não desaparecendo os sintomas, procure orientação médica ou de seu cirurgião-dentista. Não use o medicamento com prazo de validade vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento.

Efeitos Colaterais

Junto com efeitos necessários para o seu tratamento, os medicamentos podem causar efeitos não desejados. Apesar de nem todos os efeitos colaterais ocorrerem, você deve procurar atendimento médico caso algum deles ocorra. Histadin geralmente não causa secura na boca ou sonolência. Os efeitos mais comuns são: dor de cabeça, cansaço, perturbação estomacal, nervosismo e erupções da pele. Em casos raros, perda de cabelo, reações alérgicas severas, problemas de fígado, taquicardia e palpitações foram relatados.

Advertências e Precauções

Se você estiver grávida ou amamentando ou se tiver doença no fígado, procure seu médico ou farmacêutico.
Uso durante a gravidez e lactação (amamentação)
Não está estabelecido se o uso de Histadin pode acarretar riscos durante a gravidez ou lactação. Portanto, o medicamento só deverá ser utilizado se os benefícios para a mãe justificarem o risco potencial para o feto. Considerando que a loratadina é excretada no leite materno e devido ao aumento de risco do uso de anti-histamínicos por crianças, particularmente por recém-nascidos e prematuros, deve-se optar ou pela descontinuação da lactação ou interrupção do uso do produto.
Pacientes Idosos
Nos pacientes idosos não há necessidade de alteração de dose, pois não ocorrem alterações da metabolização decorrentes da idade. Devem-se seguir as mesmas orientações dadas aos adultos.
Precauções
Caso você tenha alguma doença no fígado ou insuficiência renal, a dose inicial deverá ser diminuída para um comprimido em dias alternados. Neste caso, procure seu médico.

Superdosagem

Este medicamento deve ser usado somente na dose recomendada. Se você utilizar grande quantidade deste medicamento, procure imediatamente socorro médico levando a bula do produto.
O que fazer antes de procurar socorro médico?
Deve-se evitar a provocação de vômitos e a ingestão de alimentos ou bebidas. O mais indicado é procurar um serviço médico portando a embalagem do produto e, de preferência, sabendo-se a quantidade exata de medicamento ingerida pelo paciente. Pode-se, alternativamente, solicitar o auxílio ao Centro de Assistência Toxicológica da região, o qual deve fornecer as orientações para a superdose em questão.

Composição

Cada comprimido contém:
loratadina ……………………………………………………………………………………………………….10 mg
Excipientes: croscarmelose sódica, laurilsulfato de sódio, lactose, estearato de magnésio, celulose microcristalina, dióxido de silício coloidal e talco.

Armazenamento

Manter o produto em sua embalagem original, conservar em temperatura ambiente (entre 15° e 30°C) e proteger da umidade.

O prazo de validade é de 24 meses a partir da data de fabricação (vide cartucho).

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Apresentação

Comprimido 10 mg: embalagem com 12 comprimidos.

USO ORAL
USO ADULTO

Interações Medicamentosas

Histadin não tem mostrado efeito aditivo com bebidas alcoólicas.
Alterações em exames laboratoriais
Comunique seu médico ou farmacêutico se você for fazer algum teste de pele para detectar alergia. O tratamento com Histadin deverá ser suspenso dois dias antes da execução do teste, pois poderá afetar os resultados. Este medicamento não deve ser utilizado por crianças menores de 2 anos de idade.

Informações Legais

Farm. Resp.: Vanessa Cristina Scaldelai Stierle
CRF-SP n° 15.895

UNIÃO QUÍMICA FARMACÊUTICA NACIONAL S/A
Rua Cel. Luiz Tenório de Brito, 90 – Embu-Guaçu – SP
CEP 06900-000 – SAC 0800 11 1559
CNPJ 60.665.981/0001-18 – Indústria Brasileira
Fabricado na Unidade Fabril
Trecho 1 Conjunto 11 Lotes 6 a 12 Pólo de Desenvolvimento JK
Brasília – DF CEP: 72549-555
CNPJ: 60.665.981/0007-03 – Indústria Brasileira
Farm. Resp.: José Eduardo S. Martins – CRF-DF n° 4268

Benalet pastilhas

Indicação

BENALET é indicado como tratamento adjuvante (auxiliar) nos quadros de afecções das vias aéreas superiores como tosse, irritação da garganta e faringite.

Contraindicações

BENALET é contraindicado a pacientes que apresentam hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula ou a outros anti-histamínicos. BENALET também é contraindicado a pacientes que apresentam deficiência da função hepática ou renal, pacientes com glaucoma de ângulo agudo, hipertrofia prostática com formação de urina residual, epilepsia, síndrome de QT longo congênita, bradicardia, hipomagnesemia, hipocalemia, feocromocitoma, arritmias cardíacas, ataque asmático agudo e a pacientes diabéticos devido à presença de açúcar entre os excipientes. O uso concomitante de BENALET
com tranquilizantes, sedativos hipnóticos, outros fármacos anticolinérgicos e/ou inibidores da MAO é contraindicado.

BENALET também é contra-indicado em situações que exijam grande atenção mental, como a condução de veículos ou a operação de máquinas pesadas. É contraindicado a mulheres que estejam amamentando, principalmente recém-nascidos e prematuros, devido ao risco do efeito anti-histamínico nas crianças.

Posologia

Deixar dissolver lentamente na boca uma pastilha de BENALET , sem exceder o máximo de 2 pastilhas por hora. A dose máxima diária é de 8 pastilhas por dia.

Uso em Pacientes Idosos
Anti-histamínicos comumente causam tonturas, sedação excessiva,síncope, estado tóxico confuso e hipotensão em pacientes idosos. Pode ser necessária a redução da dose nestes pacientes.

Efeitos Colaterais

BENALET é geralmente bem tolerado. As reações adversas apresentadas principalmente em pacientes hipersensíveis são por ordem de frequência: sonolência, vertigens, secura na boca, náuseas, vômitos, sedação, diminuição da secreção do muco, constipação e retenção urinária.

Advertências e Precauções

Pacientes portadores de insuficiência cardíaca congestiva, edema pulmonar, edema periférico e insuficiência renal crônica, podem apresentar descompensação do quadro clínico por ingestão de citrato de sódio. BENALET deverá ser utilizado com precaução por pacientes com insuficiência hepática e pacientes com insuficiência renal, pois poderá induzir sedação indesejável e/ou provocar retenção urinária. A difenidramina pode interferir em testes cutâneos para alergia. Alguns pacientes podem apresentar sonolência durante o tratamento com anti-histamínicos.

Durante a administração de BENALET deve-se evitar o consumo de álcool. BENALET sabor menta e mel-limão contêm o corante amarelo de TARTRAZINA (FD&C nº 5) que pode causar reações de natureza alérgica, entre as quais asma brônquica, especialmente em pessoas alérgicas ao ácido acetilsalicílico. Atenção: este medicamento contém açúcar, portanto, deve ser
usado com cautela em diabéticos.
Uso durante a Gravidez e a Lactação
A segurança para o uso durante a gravidez não foi estabelecida. BENALET deve ser utilizado apenas quando o potencial benefício
superar o risco potencial para o feto. A difenidramina atravessa a placenta. Não deve ser utilizado durante o terceiro trimestre de gravidez; recém-nascidos e bebês prematuros podem ter reações graves como por exemplo convulsões.

BENALET é contraindicado durante a lactação. O cloridrato de difenidramina é excretado no leite materno e devido ao potencial de
ocorrência de reações adversas em lactentes, principalmente recém-nascidos e prematuros, mulheres utilizando BENALET
não devem amamentar (vide “Contraindicações”).

Uso em Crianças
BENALET não deve ser administrado a crianças menores de 12 anos de idade, exceto sob supervisão médica.

Efeitos na Habilidade de Dirigir ou Operar Máquinas
Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas.

Superdosagem

Não há relatos de superdosagem com BENALET , Em casos acidentais de superdosagem, recomenda-se seguir os procedimentos usuais: lavagem gástrica, suporte hidroeletrolítico e observação clínica.

Composição

Cada pastilha de BENALET contém 5 mg de cloridrato de difenidramina, 50 mg de cloreto de amônio e 10 mg de citrato de sódio.

Excipientes (sabor mel-limão): mentol, aroma artificial de mel, ciclamato de sódio, glicirrizinato monoamônico, ácido cítrico, sacarina sódica diidratada, óleo de limão siciliano, corante amarelo FD&C nº 6, corante amarelo FD&C nº 5, base para bala açúcar granulado/glicose líquida (70:30) e talco. Excipientes (sabor framboesa): mentol, aroma artificial de framboesa,
ciclamato de sódio, glicirrizinato monoamônico, ácido cítrico, sacarina sódica diidratada, corante vermelho FD&C nº 3, corante caramelo, base para bala açúcar granulado/glicose líquida (70:30) e talco. Excipientes (sabor menta): mentol, aroma de menta, ciclamato de sódio, glicirrizinato monoamônico, ácido cítrico, sacarina sódica diidratada, essência de limão, corante amarelo FD&C nº 5, corante azul FD&C nº 1, base para bala açúcar granulado/glicose líquida (70:30) e talco.

Armazenamento

BENALET deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC), protegido da luz e umidade.

Apresentação

(sabores mel-limão, framboesa ou menta).

BENALET em embalagens contendo 12 pastilhas.

BENALET em embalagens múltiplas contendo 13 envelopes com 4 pastilhas cada.

USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 12 ANOS DE IDADE USO ORAL

Interações Medicamentosas

A combinação de BENALET com outros antitussígenos como a codeína não é aconselhável. Deve-se evitar o uso de BENALET concomitantemente a outros produtos contendo cloridrato de difenidramina, incluindo aqueles
aplicados topicamente. O uso concomitante de BENALET e álcool ou inibidores da MAO também deve ser evitado. O uso concomitante de cloridrato de difenidramina e inibidores da MAO pode levar a queda de pressão sangüínea e pode interferir no sistema nervoso central e na função respiratória. As propriedades anticolinérgicas do cloridrato de difenidramina podem ser potencializadas por outras substâncias anticolinérgicas como atropina, biperideno, antidepressivos tricíclicos ou inibidores da monoaminoxidase, podendo resultar em paralisia intestinal com risco de vida, retenção urinária ou elevação aguda da pressão intra-ocular. O uso concomitante de cloridrato de difenidramina com outros medicamentos depressores centrais como hipnóticos, analgésicos opiáceos, narcóticos, psicotrópicos assim como álcool pode levar a uma potencialização mútua imprevisível dos efeitos. Deve-se evitar o uso Concomitante de fármacos que possam prolongar o intervalo QT no ECG (por exemplo, antiarrítmicos de classe Ia e III). BENALET pode levar a um resultado falso negativo nos testes de alergia e por isso deve ser descontinuado pelo menos 72 horas antes do teste.

Informações Legais

MS – 1.5721.0012
Farmacêutica Responsável: Fernanda P. Runha – CRF-SP n° 29.761
Número do lote e data de fabricação: vide embalagem externa.

Serviços ao Consumidor
0800 728 6767

Fabricado e Embalado por:
JANSSEN-CILAG FARMACÊUTICA LTDA.

São José dos Campos – SP
CNPJ 51.780.468/0002-68
Indústria Brasileira
Registrado por:
Johnson & Johnson INDUSTRIAL Ltda.

Rodovia Presidente Dutra, km 154 – São José dos Campos – SP
CNPJ: 59.748.988/0001-14